sexta-feira, 5 de junho de 2009

Review: Twiggy


Tive uma grata surpresa já antes de tocar esse CD no player (ainda faço isso pelo menos da primeira vez que ouço um disco) com a embalagem, um digipack com papel de alta qualidade e trabalho gráfico idem. Após a primeira audição, fiquei satisfeito em comprovar que Twiggy faz um pop/rock com veia rock ‘n roll pulsando forte, acompanhada por nada menos que o Dr. Sin completo em todas as faixas, incluindo Rodrigo Simão nos teclados (exceto a faixa bônus Piggies, cover dos Beatles). A produção ainda é assinada por Andria Busic, quer mais?

Somente ser acompanhada pelo trio não seria suficiente se Twiggy não fizesse sua parte, que ela faz com maestria! Confesso que são poucas as cantoras no rock que me agradam, mas Twiggy canta com um feeling ímpar, e apesar do seu altíssimo alcance vocal (Ouça as introduções de Quando Deixei o Meu Lugar, Diga Não e O Nosso Amor Agente Inventa), não abusa desse dote.

A abertura fica a cargo de Olho de Furacão, hard rock com um refrão daqueles que passam incontáveis minutos repetindo na cabeça. Mal dá tempo relembrar o refrão e já vem É Hora de Acordar, canção mais pop, com violão dedilhado durante grande parte, e letra composta pelos irmãos Busic, que fazem também backing vocals durante todo o disco. Na humilde opinião deste que vos escreve, a música mais radiofônica do disco.

Quando Deixei o Meu Lugar é introduzida com teclados e Twiggy cantando de maneira operística, dando um ar ligeiramente progressivo, mas que logo se torna numa semi-balada. A sequência é dada com a trinca Sinais, Ovelha Negra e Adeus, três músicas essenciais no álbum: a primeira é um rockão com uma levada bem acelerada; a segunda é uma ótima versão dessa pérola cantanda originalmente por Rita Lee e a terceira é composição de Rodrigo Leal, filho do cantor português Roberto Leal (Aquele mesmo do vira-vira!). A versão original dessa música foi gravada pela banda Junk, no qual o citado canta(va) e toca(va) violão. A música Para Onde eu Vou também é composta por ele. Vale como curiosidade citar que os Busic acompanharam o Junk em alguns shows em Portugal (e no Brasil também se minha memória não falha).

O que me deixou mais curioso para ouvir esse disco foi inegavelmente a versão de You Stole My Heart, a balada mais bonita do Dr. Sin (pra quem discorda, só posso lamentar). Não vou tentar descrever muito, mas escutem que o resultado é excelente!

Duas bônus dão encerramento ao disco: O Nosso Amor A Gente Inventa, clássico de Cazuza que foi gravado originalmente para a novela Prova de Amor, exibida pela TV Record. Já Piggies, figurou no tributo ao Álbum Branco da banda-que-não-preciso-citar-o-nome, lançado ano passado e que conta também com o Dr. Sin na faixa Everybody’s Got Something to Hide Except for Me And My Monkey. Piggies é a única faixa do disco que não conta com a participação de nenhum dos doutores, sendo seu instrumental gravado pelo Andreas Kisser’s Lostapes.

Não é exagero parabenizar o selo Discobertas por esse lançamento, desde o projeto gráfico à qualidade da gravação, a produção é no mínimo digna de aplausos. Compre agora!

3 comentários:

Michel disse...

Parabéns pelo Blog e tbm pela constante atualização. A resenha tá show de bola e o cd, realmente é bom...viciei !!!

Anônimo disse...

Onde encontro esse CD para comprar?

Marlos Borges disse...

Entre em contato com o selo Discobertas através do email marcelo_froes@uol.com.br